Blogosfera Cotidiano Estilo Freebies Inspiração Jogos Música TAG Tech TV e Séries
#Jogos . 20 de janeiro de 2017 . COMENTÁRIOS (7)

Quase um mês depois e voltamos com mais uma sexta minigameira, com a melhor dica de pior jogo do mundo só que não, pois se tem gatos, é impossível ser horrível, né? Eis que nosso Grumpy Cat 🐱 lançou o Grumpy Cat’s Worst Game Ever, o pior jogo que você vai jogar no seu celular 🕹

.

Grumpy Cat's Worst Game Ever Grumpy Cat's Worst Game Ever Grumpy Cat's Worst Game Ever

BAIXE NO GOOGLE PLAY OU NA APP STORE

.

Ele tem a mesma pegada do WarioWare (pra quem conhece), é um jogo cheio de minigames com o Grumpy Cat pra serem desbloqueados e os seus inimigos aqui são o tempo e a velocidade, além de você mesmo.

.

Grumpy Cat's Worst Game Ever Grumpy Cat's Worst Game Ever Grumpy Cat's Worst Game Ever

.

Conforme você vai completando estes minigames (que aparecem em ordem aleatória), que incluem desde desafios de coordenação mesmo até estourar balões, tirar espinhos do Grumpy Cat, é umas coisas bem engraçadinhas, o nível vai aumentar, então os minigames ficam mais rápidos e difíceis de serem completados, mas ao acumular pontuação e moedas, você pode trocar por prêmios, que são: mais Grumpy Cats e minigames.

.

.

Resumindo: é um joguinho pra passar o tempo e dar umas risadinhas do mau humor dele. Você só tem três chances de errar, mas a última sempre é recuperável se você assistir aqueles #ad, sabe? Mas se você perde, tudo bem, você ganha uma frase motivacional dele pra começar de novo (só que não).

.

_

Você também pode gostar destes:


#Inspiração . 16 de janeiro de 2017 . COMENTÁRIOS (14)

Vocês se lembram da febre da decoração escandinava no ano passado? Eu sempre achei bem lindo, mas uma coisa sempre me incomodava, tudo era muito claro ou vazio demais, não me dava aquela sensação de “lar, doce lar”, é o famoso “é ótimo, mas não em mim”, sabe? Só que no caso, na minha colméia.

Mas o Pinterest tá aí pra nos inspirar, não é mesmo? E eu acabei descobrindo um estilo que também é escandinavo, só que é um meio termo entre este minimalismo nórdico e um tipo ambiente que te deixa com coração quentinho: o Hygge! QIÇO MININA BABEE? De onde vem? O que come? HOJE, NO BABEE DECORA:


Créditos: 1 / 2 / 3 / 4

Vamos relembrar que os países nórdicos não tem muita exposição solar, né? Se lembram daqueles papos que as pessoas são mais infelizes lá em cima do planeta? E que a gente é tudo felizão de tanto sol na cabeça? Faz sentido, mas não é total verdade, de qualquer forma, eles precisam inventar outras maneiras de obter essa iluminação diurna e é aí que a criatividade brota! Eles já moram em um lugar frio, mas eles precisam ser pessoas frias?

“Em essência, hygge significa criar uma gostosa atmosfera e curtir as coisas boas da vida com pessoas boas em volta de você. A luz das velas é hygge. Família e amigos – é hygge também. E também não podemos esquecer que comer e beber – especialmente em volta da mesa durante horas discutindo as grandes e pequenas coisas da vida, é hygge!”

O hygge é um estilo de vida aderido na Dinamarca, considerado o país com serumaninhos mais felizes do mundo! A palavra não tem tradução em outras línguas, então entra pro time de palavras bonitinhas sem tradução, assim como cafuné, mas o importante é saber o conceito por trás dela: se sentir acolhido.

GOSTEI, QUERO TER MINHA CASINHA ASSIM! Eu também gostei, e por isso eu separei umas dicas bem maneiras com sugestões do que a gente pode comprar #babeeconsumista pra deixar nossa casa mais aconchegante, já que ainda não podemos nos mudar pra Dinamarca, segue em anexo ;)

Mais conforto

SE APROCHEGUE deveria ser o slogan desse estilo, né? O conforto é a chave de sucesso da decoração, então vai ter muita almofada, manta, sofá, poltrona, tudo o que tiver aspecto fofo/confortável é bem vindo ao ambiente!

FURRY CARPET / MANTA / puff
Almofadas: NÓRDICO ALCE / hall of diamonds / ouriço

Mais caseiro

Dispensando um pouco todas aquelas coisas modernosas, o hygge valoriza mais o rústico, principalmente a madeira, já que ela é predominante em lugares frios, na estrutura da casa pra manter a temperatura, e nos móveis também.

Trélica de madeira / Nicho / Mesa de centro / Porta chaves

Mais claridade

Não tem luz solar, mas tem toda uma preparação pra receber QUALQUER LUZ, cada um se vira como pode e lá, as casinhas são construídas com janelas bem grandes pra garantir iluminação durante o dia. Lá, se tem lareira pra deixar o ambiente mais quentinho e intimista, aqui a gente pode explorar as velas, que além de cheirosas, ficam super charmosas na decoração, ou luminárias únicas, tipo abajur, pra iluminar lugares específicos.

Velas / Trio de velas / luminária suporte

Mais natureza

Pode ter plantinha sim, elas são muito bem vindas porque reforçam a naturalidade do ambiente, deixando mais colorido e fresquinho. Dá pra investir em vasos ou hortinha suspensa, de acordo com o espaço da casa.

Vaso clube da horta / cachepô / hanger algodão / hanger espanha

Se você quer mais saber mais sobre a Dinamarca, eu recomendo dar uma boa olhada no Visit Denmark, lá tem muitas dicas e informações. E pra quem quer implementar esse estilo na própria vida, tem um livro lindo sobre isso chamado The Little Book of Hygge: The Danish Way to Live Well, de Meik Wiking, não tem versão traduzida ainda e eu já quero :( Espero que tenham gostado das dicas, BLZ FMZ VLW #PAS

_

Você também pode gostar destes:


#Livro . 11 de janeiro de 2017 . COMENTÁRIOS (11)

Olha ela, toda leitorazinha cult 🤓 pra dizer que tem metas muito ambiciosas para 2017, pois de uma pessoa que leria 0 livros até setembro do ano passado e leu 14 livros, este ano minha meta é de: 35 livros, lembrando que já completamos um ontem e estamos já de coração partido, pois foi o último da saga dos corvos :(

Quando comecei a procurar livros, eu queria umas leituras bem levinhas e foi assim que fui direcionando o que eu gostei e não gostei, vendo o que os migos estão lendo também. E aqui eu vou passar rapidamente por todas essas leiturinhas, mas se vocês quiserem uma opinião mais profunda sobre algum deles, podem falar, eu não me acho a pessoa mais daora pra falar de livros, mas a gente tá aí pra trocar umas ideias sobre, segue em anexo:

📖

Rainbow Rowell

Fangirl / Eleanor & Park / Attachments / Landline

Juntei todos eles pra falar que eu amei essa autora, sério, que leiturinha mais gostosa! São livros bem leves, tem umas tretas embaçadas, mas as histórias sabem dosar as bad vibes com as good, sabe? Foi um ótimo começo pra quem detestava ler e eu sempre recomendo ela, pois maravilhosa mesmo.

É uma pegada mais teen, é! Mas eu gostei um pouco de cada, fiquei apreensiva com o Eleanor & Park, e também me lembrei em como Landline me deixou pensativa sobre a vida, em como Fangirl me deixou mais leve, e ver quanta coisa a gente esquece quando cresce. E em como Anexos me deixou mais esperta nas conversa da internet, brinks!

📖

Maggie Stiefvater

The Raven Boys / The Dream Thieves / Blue Lily, Lily Blue / The Raven King

A melhor leitura até agora foi a saga dos corvos (com excessão de A Grande Magia), e até me espanto em como essa saga me prendeu! Se já era difícil pra mim ler UM LIVRO, imagina uma série? Eu comecei com um grande incentivo, lendo com as migas, mas acabou que eu sou mais apressada e já acabei tudo (?) Pra quem não conhece, eu vou colocar um resuminho do rolê:

Todo ano, na véspera do Dia de São Marcos, Blue Sargent vai com sua mãe clarividente até uma igreja abandonada para ver os espíritos daqueles que vão morrer em breve. Blue nunca consegue vê-los – até este ano, quando um garoto emerge da escuridão e fala diretamente com ela. Seu nome é Gansey, e ela logo descobre que ele é um estudante rico da Academia Aglionby, a escola particular da cidade. Mas Blue se impôs uma regra – ficar longe dos garotos da Aglionby.

Conhecidos como garotos corvos, eles só podem significar encrenca. Gansey tem tudo – dinheiro, boa aparência, amigos leais -, mas deseja muito mais. Ele está em uma missão com outros três garotos corvos – Adam, o aluno pobre que se ressente de toda a riqueza ao seu redor; Ronan, a alma perturbada que varia da raiva ao desespero; e Noah, o observador taciturno, que percebe muitas coisas, mas fala pouco. Desde que se entende por gente, as médiuns da família dizem a Blue que, se ela beijar seu verdadeiro amor, ele morrerá. Mas ela não acredita no amor, por isso nunca pensou que isso seria um problema. Agora, conforme sua vida se torna cada vez mais ligada ao estranho mundo dos garotos corvos, ela não tem mais tanta certeza.

Eu nem tinha lido o resumo quando comecei, mas o fato de abordar muito sobre esoterismo, porque a família da Blue é formada por médiuns, então vamos ver muito sobre tarô, divinação, etc. E também tem uma outra pegada mais de história, fala-se muito sobre o País de Gales e as linhas ley, que existem real e eu fiquei bolada em saber disso.

O mais legal é que existe sim um núcleo protagonista, que são os garotos corvos, mas todo mundo tem seu próprio destaque em diferentes partes da saga, então vamos ler muito sobre a família da Blue e também sobre as outras famílias, assim como outras pessoas do rolê. O personagem que mais gostei foi o Ronan, porque ele é o mais problemático, de perturbado mesmo, tanto que o livro que mais gostei foi o The Dream Thieves, que é quando descobrimos mais sobre a história dele, e o que menos gostei foi Blue Lily, Lily Blue, porque é uma parte da história toda que fica mais tranquila, já que vai nos encaminhar pro último livro, que é só tiro porrada e bomba!

📖

Ransom Riggs

Miss Peregrine’s Home for Peculiar Children / Hollow City

Foi uma leitura boa, acho que o que me motivou mais em ler é pra saber mais sobre as crianças peculiares, de saber mais detalhes sobre elas, de ver as fotos, como vivem, o que fazem? E é por isso que eu gostei bem mais de Hollow City, e eu não vou dar spoiles, sou uma boa menina. Pra quem ficou inclinado em ler, tenta assistir o filme, eu não vi e sei que coisas importantes foram modificadas, mas dá pra ter uma pequena ideia do que você vai encontrar e essa foi a pior dica de leitura da Babee, palmas.

📖

George R. R. Martin

A Game of Thrones / A Clash of Kings

Eu assustei quando terminei de ler o primeiro livro e descobri que li 800 páginas (?), porque eu estava real com a sensação que o livro nunca acabava, mas como tem muitos capítulos com pontos de vista diferentes, você nem sente a as páginas passando, sabe? Foi assim que li rapidinho, já o segundo… Esse se arrastou até agora e ainda me faltam uns 15% do livro, porque talvez eu não goste da maioria dos personagens principais, como Stannis e o Theon (?), talvez isto tenham e atrapalhado, mas seguimos rumo ao A Storm of Swords, só que não, vou dar um tempinho pra ler outros livros antes de voltar pra cá, porque sei que o terceiro é o maior de todos e já tô chorando HAUEHA Eu não assisti a série, só vi a última temporada, mas gostei muito mais dos livros!

📖

Lena Dunham

Not That Kind of Girl: A Young Woman Tells You What She’s “Learned”

Eu não sabia que esse livro era auto-biográfico e achei meio boring? Fiquei interessada nele, porque estava vendo Girls na época e achei apropriado, e não tiro seu mérito, ele é divertidinho sim, mas eu não tenho muita paciência pra ficar ouvindo historinha sobre pessoais reais, então acabei pegando um pouco de bode dele, só recomendo se vocês simpatizam com ela e queiram saber suas tretas pessoais.

📖

Jout Jout

Tá Todo Mundo Mal

Por outro lado, eu amei ler as crises da Jout Jout (????) e eu li ele na hora certa, foi logo depois de A Grande Magia, então além de me desprender das neuras criativas, também fiquei mais leve de ler as neuras dela e ver que a gente se encasqueta com umas coisa tão trouxa, que não me admira a gente ter um monte de doença a toa, sabe?

📖

Espero que tenham gostado desse resumo humilde porém limpinho, se você já leu algo mais dos autores acima, me indiquem, que eu gostei de todos e quero conhecer mais livros! O mesmo vale pra autores no mesmo estilo, estamos aceitando ✨ BLZ FMZ VLW FLW!

_

Você também pode gostar destes:



© 2010 - 2016 Babee. Todos os direitos reservados. Para o topo ▵